Terceira temporada de DNA Criminoso narra assassinatos cometidos por familiares

A partir desta terça-feira (8), às 20h40, o Investigação Discovery exibe a terceira terceira temporada de Dna Criminoso (Evil Kin) e destaca protagonistas que não apenas compartilham as mesmas origens, como também o histórico de violência e de crimes hediondos.

A cada semana, um caso diferente é revisitado com a ajuda de dramatizações e depoimentos de pessoas que viram o mal se alastrar, como se fosse uma característica hereditária destes clãs. Registros em vídeo – incluindo entrevistas com os condenados, com psicólogos forenses, advogados e oficias envolvidos nas investigações – mostram a realidade brutal: não somente de cooperação e amor são feitos os laços de família; eles podem ser atados pelo ímpeto homicida e o comportamento violento.

Os casos são reconstituídos em 13 episódios de uma hora que investigam as origens da reputação do “sangue ruim” que recai sobre estes lares: famílias disfuncionais criam um ambiente de violência doméstica, delinquentes juvenis, abusos, abandono, e funcionam como incubadoras de assassinos que não hesitarão em matar, sem remorso ou arrependimento.

Em outros casos, a surpresa é total. Famílias inseridas nas dinâmicas sociais de sua comunidade veem o sonho americano interrompido pela presença de assassinos que usam o mesmo sobrenome de seus membros exemplares.